30/06/2018

Entrevista que não foi ao ar

No mês de maio, dia 23 (2018), um portal de notícias da cidade de Monte Alto e eu conversamos sobre algumas novidades minhas no universo literário. Este papo gerou uma entrevista com direito a troca de e-mails e tudo mais. Recebi o questionário, respondi a todas as perguntas, atrasei para lecionar (em uma das cidades onde leciono) e devolvi o conteúdo prontinho como de costume. Como era uma quarta-feira (e como sempre digo, “coisas estranhas acontecem às quartas-feiras”, parte I e parte II), imaginei que a entrevista iria ao ar no fim de semana próximo. Ledo engano.

Alguns dias depois, procurei a jornalista perguntando quando a entrevista iria ao ar, pois usaria a mesma como “chamada” para o lançamento do próximo livro e não queria perder o timing, e esta me informou que estava “esperando para postá-la no fim de semana, pois aos fins de semana o portal fica sem notícias...”, e esta entrevista [comigo] serviria para “preencher”. Ok, pensei.

Passado o fim de semana, nada. Entrei novamente em contato e não tive retorno. Compartilhei com a pessoa outra novidade (um mini metragem do qual participei a convite de um diretor e fotógrafo local, Danilo de Paula) e novamente não tive retorno. Então pensei “já que dei a entrevista e até agora nada, passados mais de 30 dias, porque não a publicar em meu site”?


Sendo assim, aí está (com atualizações de tempo no final do texto):

Entrevista na íntegra


Como surgiu essa meta de seis livros em um ano?
Em 2016 publiquei dois livros: a 2ª edição de “Rebeca – alguns não pecam por nada” e o inédito “Gestão de Recursos e Projetos”. Durante as edições, percebi que eu tinha muito material para ser finalizado. Textos que já havia começado em outras épocas, alguns muito velhos, e que precisavam de revisão. Em 2017 lancei o “Pink Silk Republic”, um livro de ação escrito em forma de roteiro. Foi então que decidi garimpar tudo o que eu havia escrito até o momento. Depois de jogar muita coisa fora, percebi que havia material suficiente para pelo menos 6 livros. Então, decidi, como meta para 2018, lançar os 6 dentro deste ano, e começar 2019 com material novo. Para mim é um desafio, mas que pretendo realizar. São 16 anos de literatura... imagine só. Tem muita coisa para publicar (e para jogar fora).

Qual é o assunto? Eles se completam ou são textos independentes?
São todos independentes um do outro. Se possuem conexão é pela coincidência ou por pequenos detalhes de época e contexto no qual foram escritos. São contos, compilações de textos, fragmentos poéticos e poesia (que voltei a escrever depois de dez anos ou mais). Também há um romance ou outro no meio disso tudo.

Quais são os títulos dos dois já lançados?
Fiz o lançamento em Monte Alto do “Pink Silk Republic” em março de 2018, já que eu havia lançado este no Rio Grande do Sul em setembro de 2017 quando ainda morava por lá. O inédito sairá ainda este mês, ou, no máximo no começo de junho; se chama: “Quinze noites com Lygia Fagundes Telles, Clarice Lispector e Paulo Coelho”. São três contos escritos em 2013 e fazem referência à forma e escrita criativa dos três autores selecionados. Como bônus, fizemos o lançamento da História em Quadrinhos (HQ) do meu conto “Seu chamado na escuridão”, que foi lançado em Santa Catarina também em março deste ano, em parceria com um amigo e grande desenhista Vantuir Pott.

Como podem ser adquiridos? Os demais já têm nome? 
Todos os títulos podem ser encontrados em meu site e são gratuitos. Dificilmente porei preço nestes livros lançados em 2018. Quero que sejam de graça para incentivar ainda mais a leitura, pois sempre fui um incentivador do consumo da literatura. Alguns sim, têm nome. Porém, é muito provável que eu altere tudo durante as edições; faz parte.

Do que se trata a HQ? Qual foi sua inspiração para ela? É sua primeira história em quadrinhos?
Nunca fui um grande fã de HQs, sinceramente. Mesmo admirando as artes e roteiros, não faziam parte de minhas leituras principais (com o tempo isso foi mudando). A ideia surgiu de um amigo sulista que é um grande ilustrador: Vantuir Pott, que leu alguns de meus contos e gostou o suficiente para transformar algumas histórias em HQ. Roteirizamos o texto original do conto “Seu chamado na escuridão” e ele se incumbiu da arte. Ao todo serão três HQs, cada uma de um conto específico com o final que puxa para a próxima história. “Seu chamado na escuridão” é a primeira de uma série de três. Ainda não fiz o lançamento desta em São Paulo, mas certamente estará à venda por aqui nos próximos meses.

Sobre sua parceria com o Lobão: como surgiu? Como você o conheceu?
A ideia para este livro surgiu há bastante tempo, quando eu ainda trabalhava com os lançamentos em São Paulo, capital, do meu livro “Rebeca – alguns não pecam por nada”, em todo aquele contexto de manifestações populares e políticas entre 2012 e 2013. Tivemos alguns contatos, mas nada concreto. Comecei a escrever parte do material, que ficou guardado e esquecido. Em 2017 naquele momento de organização e garimpo de meus trabalhos futuros, encontrei este material e resolvi jogar fora (uma destas imbecilidades que a gente faz de vez em quando na vida). Porém, em março deste ano retomei o papo sobre este projeto, e em uma apresentação do Lobão em Jaboticabal neste mês retomei a ideia. Daremos sequência a este livro neste ano e provavelmente será publicado em 2019. Não posso dizer que é uma parceria propriamente dita, pois isso depende de muitos fatores. Porém, como conversamos, não quero escrever um livro “sobre” ele, e sim “com ele”, pois o material depende das duas partes.

Do que se trata o livro? Já tem título?
Estou trabalhando com o título provisório “Para além do universo paralelo”. O livro tratará da carreira do músico e escritor Lobão, assim como seu processo de produção focado em algumas de suas músicas-ícones, todas revisitadas e analisadas de um ponto de vista histórico e filosófico, pois, como concordamos (ele e eu), há muita densidade e muita filosofia em muito de seu trabalho, e este conteúdo com esta perspectiva vale a pena ser explorado em livro.

É um volume escrito a quatro mãos ou a parceria é de outra forma?
A ideia é essa, num processo de co-autoria, pois não quero escrever um livro sobre ele com apenas meu ponto de vista sobre o material. De jeito nenhum. O artista concordou em participar e escreveremos juntos. Não vejo de outra forma. Não é um livro autobiográfico, mas depende muito de sua participação. O Lobão é um cara muito educado e gente boa, e poder escrever um livro sobre seu trabalho e com sua participação para mim é uma honra.


Me rememora sobre seus outros livros/título, lançamentos, sinopse e como comprar.

Alguns títulos do autor:

“Monte Alto – O aquário de sangue” (livro de estreia, 2010);
“Rebeca – alguns não pecam por nada” (2013/2016);
“Verecundia” (2013)
“Gestão de Recursos e Projetos” (2016);
“Pink Silk Republic” (2017);
“Contos Insanos – Seu chamado na escuridão” (2018);
“Quinze noite com Lygia Fagundes Telles, Clarice Lispector e Paulo Coelho” (2018).


Contato do autor:

Instagram: @MarcoBuzetto
Facebook: Marco Buzetto

__________
Atualizações:

O livro “Quinze noites com Lygia Fagundes Telles, Clarice Lispector e Paulo Coelho” fora lançado no mês de junho/2018 e está disponível gratuitamente aqui no site, assim como o “Pink Silk Republic” lançado no mês de março (em Monte Alto/SP).

O próximo livro sairá no mês de julho/2018. Trata-se de um conto de terror, intitulado “Conturbado”.

No mês de maio participei de um mini metragem chamado Collapse, realizado pelo fotógrafo e diretor Danilo de Paula. Um trabalho sensacional criado por ele, roteiro em parceria nossa.