27/05/2018

Pavimento [verborragia]


Sempre que surge a vontade de fugir, de sair correndo, de simplesmente dar as costas e deixar todo o resto para trás, lembro exatamente de tudo isso, toda essa estrada que percorri e deixaria para trás servindo apenas de memória para os frequentes dias de solidão e embriaguez.

De alguma forma, todos estes caminhos e estas estradas nos levam de volta para casa em algum momento de nossa vida, sabe-se lá quando, seja lá aonde for, aonde quer que nosso coração esteja no meio da noite.

Para a mente, uma mente incomum como qualquer outra, existe esta eternidade do tempo quando não queremos esquecer um sorriso. Mas, o corpo definha, e com ele nossas energias.

Por mais que haja brilho nos olhos, o tempo, esse que não dá trégua, é o mesmo que nos alegra e nos entristece. E não é sobre desistir. Não. Nunca é sobre desistir. É sobre superar. É sobre aceitar, mesmo sem concordar, e seguir em frente, seguir a estrada, com a hora certa para frear e a hora exata para acelerar um pouco mais, sem parar um único instante.

09 de maio de 2018

______

Siga o escritor Marco Buzetto nas redes sociais: Facebook. Instagram, Twitter.