12/03/2013

A Selvageria do Silêncio - (1)


É quando olhamos para dentro, e vemos que nada vale a pena. Nada realmente vale a pena. Literalmente. Veementemente. Ultrajantemente. Nada vale a pena. Nada vale nada. É quando nos sentimos perdidos, inúteis, limitados, ultrapassados. É quando olhamos para dentro, e vemos que nada vale a pena.


A selvageria do ser humano. Instinto antes de qualquer coisa. Não conseguimos nos livrar do passado primitivo. A selvageria no falar, no andar, no agir, no pensar... No fazer. A selvageria em cada palavra, em cada grito, em cada sussurro. A selvageria do silêncio. A selvageria do ser humano.


É o que acontece. É o que está acontecendo. Regressão. Retrocesso. Desumanização. O ser humano evoluindo para o primitivo. Evolução para trás. Evolução para a ancestralidade do pensamento e do comportamento. O ser humano evoluindo para ser ainda mais animal. É o que acontece.


A resposta é a violência. A selvageria do comportamento civilizado. A busca pelo algo que nunca se tem, e o primitivismo tomando conta da racionalidade. Essa é a resposta. A busca pelo algo que nunca se tem. A sociedade se torna uma rincha de galo. O primitivismo tomando conta da racionalidade. A resposta é a violência.


Esse é o vazio. Tudo pode ser alcançado. Tudo pode ser obtido. Sociedade de consumo. Comportamento agressivo. Tem-se o bem de consumo, mas não se tem o controle da mente. Não se compra comportamento. Não se compra violência. Não se compra a humanização. Esse é o vazio.


Comportamento. O homem afirmando ser o macho, e a mulher apenas mais uma fêmea. Era do tacape. Era do transtorno de personalidade. Era do animal. A resposta romana. A paz proporcionada pela guerra. O círculo. O ser humano buscando algo que está além da vitrine. Violência. Humano insaciável. Comportamento.


Diversão. A diversão é o retrocesso. A questão é correr o mais rápido possível para trás. A busca pela volta. A volta para o sangue. Sem arrependimento. É só comportamento. Humano. Demasiadamente humano, e pronto. Fugir é natural. Não socorrer é um sintoma do apavoro. A diversão é o retrocesso. Diversão.


(do livro A Selvageria do Silêncio - Marco Buzetto - 2013)