08/11/2012

O Jardim de Letícia – uma garota chamada sofrimento

16 anos de caos e confusão
Por Marco Buzetto

ADENDO:

Esta história é baseada em fatos reais. O nome da garota será preservado, assim como quaisquer informações descritas nesta história. Chamaremo-na, então, Letícia.
Sendo assim, qualquer semelhança que venha a se encontrar neste texto será mera coincidência.

Parte III
 

“Minha inocência! Minha inocência! Minha inocência” repetia ela a todo instante. Mas ninguém ouvia. Ninguém estava interessado nestas palavras. “Minha infância”... “Ah minha infância”, chorava ela, a garota Letícia. Mas, nem a infância, tampouco a inocência retornariam. Mesmo com Letícia implorando, “voltem pra mim”. Sua mente se tornava uma caixa repleta de poeira, poeira de culpa. Culpa por se manchar. Culpa por ser vista a todo o momento apenas como um objeto de desejo; um corpo feito apenas para o sexo, para o beijo, para funções meramente instintivas. Letícia sente-se deprimida, com o resto do coração partido. Mas não se dava conta de que seus sentimentos eram profundos.

No entanto, para esconder sua tristeza, a garota de cabelos negros e pele suavemente morena fazia absolutamente tudo de novo. Ao invés de abrir seu coração, suas pernas eram um convite perfeito para mais alguns minutos de emoção.

(continua na Parte IV)