27/02/2013

Nascido no Túmulo - Crônica 46

27/06/12 

Como? É só isso o que eu gostaria de saber. Como? Como e por quê? Tem que ter uma explicação. Como e por quê? Maldição. Sim. Só pode ser isso. Uma maldição. Ah, se eu acreditasse em pecado; com certeza eu seria um pecador. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Ah, se eu acreditasse em vidas passadas e futuras; com certeza eu estaria pagando por coisas terríveis hoje em dia. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Ah, se eu acreditasse em pecado original; com certeza eu seria o cristão mais merecedor de penitência. Maldição. Sim. Só pode ser isso.

Já sei. É meu nascimento. Meu nascimento no túmulo. Sim. Só pode ser isso. Daqui a exato dos meses. Meu nascimento no túmulo. Sim. Só pode ser isso. Hoje foi só uma prévia; um preparo do que virá nos próximos dias, até meu nascimento no túmulo daqui a dois meses. Sim. Só pode ser isso. É uma prévia. Uma prévia para eu olhar para cima, ver toda a luz ofuscando meus olhos, e correr de volta contra ela. Sim. Só pode ser isso. Meu nascimento no túmulo. Sim. Só isso pode explicar o que acontece. Maldição. Ah, se eu acreditasse em maldição. Sim. Se eu acreditasse em acreditar. Só pode ser isso; meu nascimento no túmulo. Nasci com todos os males, com todas as piores profecias incrustadas em meus ossos; todas com data marcada. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Meu nascimento no túmulo. Daqui a dois meses. Tudo isso é só uma prévia do que dia após dia acontecerá até meu nascimento daqui a dois meses. Sim. Só pode ser isso. Daqui a dois meses sim. Só me resta esperar. Uma mordia forte. Alguma coisa socando a minha cara, dando a volta e mordendo a minha bunda. É só eu esperar. Só me resta isso.

Nascido no túmulo. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Ah, se eu acreditasse em pecado, em vidas passadas e futuras, em pecado original; ah, se eu acreditasse em acreditar. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Nascido no túmulo. Meu nascimento no túmulo; daqui a dois meses.
 
Não. Não me procure no céu. Não. Não me procure no inferno. Nem na prisão, nem nas ruas. Não me procure na liberdade, nas montanhas, nos oceanos ou nas verdades. Apenas minta. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Apenas minta pra mim. Só estas mentiras são verdades. Sim. Só pode ser isso. Só uma mentira pode ser uma verdade.

Eu já não sei mais. Não sei o que fazer ou o que perguntar. Só não me procure no céu, ou no inferno, ou na prisão ou nas ruas; não me procure na liberdade, nas montanhas, nos oceanos ou nas verdades. Apenas minta. Maldição. Sim. Só pode ser isso. Apenas minta pra mim. Outro dia. Mais um dia. Mais uma vez. Maldição. Apenas minta pra mim. Nascido no túmulo. Ah, se eu acreditasse nas lágrimas; com certeza eu seria uma torrente. Maldição! Sim! Só pode ser isso! Apenas mintam pra mim. Só uma mentira pode ser verdade.