27/11/2012

O Jardim de Letícia - Uma garota chamada sofrimento

16 anos de caos e confusão
Por Marco Buzetto

ADENDO:

Esta história é baseada em fatos reais. O nome da garota será preservado, assim como quaisquer informações descritas nesta história. Chamaremo-na, então, Letícia.
Sendo assim, qualquer semelhança que venha a se encontrar neste texto será mera coincidência.

Parte IX

Um dos assuntos de que Letícia gostava de conversar eram suas posições sexuais favoritas. Tudo o que fazia com seus companheiros durante a traição do namorado, Letícia contava para o tal confidente. E ela não se cansava de falar. Não, não se cansava. E adivinhem sua posição favorita. “Eu adoro ficar de quatro, com ele puxando meu cabelo”. Sim. Exatamente essa imagem, leitor, que surgiu em sua cabeça. Letícia simplesmente adorava esta posição, mais do que qualquer outra durante todas as horas já viajadas por ela pelos prazeres sexuais. “O PM me pegou de quatro, e depois a gente fez um 69; e ele gozou na minha boca. Eu nunca tinha sentido o gosto antes”.

Marcar uma transa com Letícia não era uma coisa difícil de ser feita. Você conversa como quem a adorasse, pede o número do telefone e ela passa sem perguntar mais nada. Na quinta-feira, lá estão vocês, transando como se fosse à última vez.

(continua na Parte X)