O Aquário de Sangue


INTRODUÇÃO

Em Monte Alto, O Aquário de Sangue, conhecemos um homem chamado Marko, morador desta cidade no interior paulista desde sua infância, casado com Marianna e pai da esplendorosa Anna, uma jovem filha que tanto orgulho e alegria traz ao casal. Por conta de um acidente na corporação militar, Marko teve o lado esquerdo de seu rosto desfgurado pela explosão de uma granada supostamente desativada. Desde então vive com sua família em Monte Alto, cidade esta que é palco de uma incrível e perturbadora rotulagem desfavorável na visão pesadamente realista de Marko. Pois, ao passo que a história contida neste livro sobre sua vida se desenrola, este homem faz questão de criticar abusivamente sua cidade, a qual chama por várias vezes de cidade medíocre, hipócrita, suja... Abandonada; sendo que estes adjetivos também são atirados contra os moradores dali. O dia-a-dia de Monte Alto é descrito por Marko de maneira pessoal, citando alguns fatos corriqueiros que fzeram parte da realidade desta cidade – porém, algumas coisas exageradas... Mas precisamos de algo para nos prender à idéia geral.

Perseguindo freneticamente um misterioso assassino, Marko chama-o por mil vezes de poeta da morte, pois este “limpa” a sociedade montealtense de maneira grotesca e efcaz. Neste meio tempo, Valéria Melf, a ex-psicóloga de Marko, que anteriormente o auxiliava com sua readaptação à sociedade devido ao trauma do acidente, é sequestrada sem que ninguém saiba. Seu diálogo com o assassino é repleto de detalhes e indicações emocionais... Sendo uma micro-história dentro de outra; história esta que desperta a curiosidade do saber o que mais virá pela frente. Podemos dizer, então, que algumas personalidades “fctícias” desta cidade fazem parte fundamental da história e do cotidiano de Marko, este homem pacato, simples, de valores e moral ainda presentes. Um padre morto pela música encima do altar, meio à missa; donos de indústrias multinacionais; os chamados lixos sociais; ex-prefeito e sua esposa; e, por fm, um espírito degenerado encontram seu fm nas mãos de um assassino realista e duvidoso de si mesmo. Algumas destas personalidades encontram seu fm “poeticamente”, como Marko costuma dizer.

Completamente imerso em um gosto vicioso por recorte de jornais e matérias a respeito dos assassinatos, Marko torna-se o fã número um do misterioso assassino. Sua esposa Marianna recebe um amargo presente em seu coração, justamente no dia do aniversário de casamento do casal. Marko jura pelos deuses e pelos demônios encontrar o assassino de sua amada eterna. Marko conversa com pedaços de papéis amarelados, envelhecidos; e mais tarde com paredes escritas com sangue humano, dando-lhe dicas de como encontrar a verdade que procura para saciar sua sede de vingança. E nesta caçada humana, descobre uma paranóica e psicodélica ação e reação de um escritor degenerado que o utiliza como marionete para realizar crimes que jamais poderia, ou deveria realizar por conta própria. Anna, a jovem italianinha, gradua-se em Filosofa, partindo para Roma, Itália, para utilizar melhor seu potencial científco.
Desta forma, sem mais nem menos, esta é a história de um degenerado, um solitário, um homem de olhar sombrio e ao mesmo tempo infeliz. Porém, Marko, a personagem, presenteia-o com uma dose fatal de sua própria realidade.
Conheça, então, Marko Treviso, e Monte Alto, O Aquário de Sangue.

***

Obrigado a equipe da Editora Boreal pelo apoio: Rogério Menani em primeiro lugar, por ter acreditado em meu trabalho e também por sua amizade da qual me orgulho, Willian Barbosa, Ana Rita, Iza Marques, e todos os nomes que auxiliaram o meu trabalho.
A todos vocês, obrigado.

***

Abaixo, algumas fotos do lançamento do livro em Monte Alto, no restaurante Rudà. Agradeço a Cibele e Fernando, proprietários do belíssimo restaurante a lá antiquarium, por contribuirem com o ambiente para o evento.

Lançamento do livro no melhor restaurante da cidade - Rudá Restaurante, março de 2010

da esqueda para a direita: Leandro e Lucas Lauer, Luisa Buzetto, Ana Clara (irmã amada), Tereza, Adriana e Silvio de Carvalho. Obrigado pelo apoio e também pela presença na tal data.

_______


Aqui, presença na 10ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto. Experiência interessante.
Porém, apenas isto. Infelizmente podemos ver que as pessoas dão mais valor a bebida, drogas, shows bizarros - e esquecem-se completamente da tal inteligência. Bem, que seja...

Até o próximo ano... Ou não.
***