21/09/2012

Biografia Política em Monte Alto 2012 - Parte 3






Dossiê Político de Monte Alto em 2012
Parte 3 - Sobre denúncia
 
 
Estas últimas semanas foram, para alguns, carregadas de ansiedade, enquanto que, para outros, repletas de angústia e dúvidas.

A 31 de agosto de 2012 foi dada entrada em uma representação contra Abuso de Poder Econômico e Pedido de Cassação da atual prefeita e candidata a reeleição Silvia Aparecida Meira, por consequência da entrega de “kits” de uniformes escolares por parte de sua Administração e Secretário de Educação Francisco Oliveira às antigas creches tornadas EMEBs. Foram distribuídos cerca de 850 “kits” mediante cerimônia de entrega com a presença de agentes ligados à atual administração, sendo que, este ato, fora feito em período eleitoral e fim de ano letivo.

A ação levou ambas as partes, o candidato Marco Buzetto e seus advogados e Silvia Aparecida Meira e seus advogados, representação e representado(a), à uma audiência realizada no dia 14 de setembro de 2012. A representada, Silvia, não comparecera à audiência, estando presentes apenas suas testemunhas de defesa, incluindo o então Secretário de Educação Francisco de Oliveira.

A representação pedia a Cassação de Registro da representada Silvia Aparecida Meira, por conta do citado crime eleitoral. O Ministério Público opinou pela cassação, porém, o juiz Ayman Hamadan optou, apenas, aplicar multa à representada mediante condenação, podendo, ainda, ser cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral. A multa foi de pouco mais de R$53 mil.

Em relação à decisão, esta é vista como uma vitória por parte da representação, pois, ficara caracterizado o Crime Eleitoral mediante denúncias. Talvez, neste caso, não tenha sido a melhor decisão (única), porém, demonstra que atos coronelistas como este, além de outros, não mais passam impunes.

Finalizando.

Qual a atitude, agora, que a parcela de eleitores da população montealtense poderia, neste caso, assumir? Uma denúncia com representação e CONDENAÇÃO por parte da Justiça Eleitoral e do Ministério Público é ou não um motivo válido para a sociedade se perguntar se este ou aquele candidato realmente vale a pena?

Fatos assim demonstram a verdade índole pessoal de políticos que, além da posse do poder político local, querem, em demasia, manter a velha ordem social dos velhos coronéis, comprando e calando a boca de todos.

A cidade de Monte Alto, São Paulo, Brasil, no planeta azul, merece ou não, finalmente, novas caras na política que, além de tudo, deve ser verdadeiramente popular e democrática? Ou, política é política, povo é povo, e cada um faz o que bem entende quando bem quer sem se preocupar um com o outro (que em essência fazem parte da mesma realidade)?